Brincos! Quais e como usar?

Hoje o artigo é sobre brincos! Quem não gosta? Eu admito, não vivo sem brincos! Não consigo passar um único dia sem usar brincos. Posso abrir mão de qualquer outro acessório, mas não posso nunca, nem consigo, largar os meus brincos e vocês vão rapidamente perceber isso depois de verem a minha mega colecção.
Para este domingo, até agora de sol, além de vos vir mostrar toda minha coleção de brincos, venho ainda dar algumas dicas de como tirar proveito deste acessório tão marcante no nosso visual. Vocês sabiam que cada tipo de rosto requer o seu tipo adequado de brincos? Pois é, não é ao acaso, e saber fazer a escolha certa vai ajudar muito a dar um up à nossa imagem!
Mas antes de irmos por esse caminho vamos já deixar uma coisa bem esclarecida! Um bom par de brincos é capaz de dar todo o poder que queremos a um look dispensando qualquer outro acessório complementar. E, ainda podem dar aquele pop de cor que falta no nosso look.
Antes de percebermos quais são os brincos ideais para nós vamos primeiro aprender a distinguir cada tipo de brincos consoante o seu tamanho.
Botão
Os brincos botão, são aqueles brincos mais pequeninos, muitas vezes usados no dia-a-dia nem que seja para ir às compras, ou até ao pão, "vou ali ao cafezinho e já volto". São brincos mais discretos e por norma agarrados ao lóbulo da orelha. Não tem nada que saber, este tamanho de brincos, é por norma, aquele com as típicas pérolas ou pequenas bonecadas, pedras ou outras peças. É também, muitas vezes, a escolha das noivas para, lá está, o foco não ir para os acessórios mas, sim para ela própria tornando os brincos, num pequeno detalhe e muito discreto. Afinal quem se vai casar é a noiva, ela é que tem de se destacar.
Os brincos botão transmitem a ideia de leveza, de descontracção, de uma pessoa ativa e descomplicada. Estes detalhes, muitas vezes são importantes para alguns tipos de empregos.
Médios
Este tamanho de brincos é aquele que já se começam a notar um pouco mais ou então, quando já começam a tender crescer um pouco, já fazem uma bela de uma transição para os brincos longos. Mas então, qual é que é diferença? Ora, nós temos os brincos médios, que ficam ainda relativamente perto da orelha e aqueles que já chegam perto da linha do maxilar, essa é a diferença entre o médio e o médio de transição.
Este tamanho de brincos já é muitas vezes utilizado para eventos ou ocasiões que pedem um toque especial no nosso look, e para estes casos, o que vai ajudar a decidir quais os melhores brincos, dentro desta medida, será de facto a sua cor, o seu material e a largura - se são brincos mais estreitos ou se são brincos mais largos mas atenção, eu posso ter uns brincos largos que são mais discretos do que uns brincos fininhos. Vou passar a um exemplo: se eu tiver apenas um fio em, imaginemos, pequenas pedrinhas muito brilhantes quase que parecem pequenos diamante, ou tiver uns brincos largos em formato de argolas prateadas, quais é que vos parecem ser mais discretos? Estão a entender onde quero chegar?
Não é só o tamanho que importa, mas, também tudo o que o constrói e define.
O uso de uns brincos médios reflectem uma pessoa discreta mas já com uma certa vontade de se mostrar ao mundo. Já começa a ter uma certa determinação para arriscar.
Longos
Os brincos longos, por norma, são aqueles que já acompanham a extensão do pescoço, logo, já ultrapassam a linha do maxilar. São brincos mais sofisticados e que por isso, dão mais poder ao look e tornam-se no foco de atenção, ou seja, quando usamos por exemplo uma maquilhagem mais simples podemos, muito bem complementar com uns brincos longos bens chamativos. Estes brincos quase que já fazem o look por inteiro.
Estes transparecem uma personalidade já mais arrojada e confiante, sem medo de arriscar e "dar nas vistas".
Maxi
Este é o tamanho de brincos que eu mais utilizo, aliás vocês vão poder ver a 100% a minha coleção de brincos e vão reparar realmente nesse grande detalhe.
Os Maxi-brincos são aqueles que, além de muito compridos, são muito volumosos. Com este tamanho de brincos, este acessório rouba toda e qualquer atenção só para ele. Enquanto nos brincos longos eu disse que esse tamanho quase que fazia o look, com uns brincos maxi já tenho o look feito.
Aqui vamos ter uma pessoa muito extrovertida, confiante, que gosta de ser um tanto extravagante.
Só pelo tamanho dos brincos que usamos, já conseguimos ver o poder que os brincos podem ter no nosso look, agora vamos então descobrir quais são os brincos ideais para cada um de nós. O que nos vai ajudar a definir os brincos perfeitos é, principalmente, o formato do nosso rosto. Como bem sabemos existem variadíssimos formatos de rosto e para cada um há um tipo de brincos mais adequado. Não é que não possamos usar de tudo, mas há sempre aquele que nos fica melhor e provavelmente não é por serem os mais bonitos da nossa colecção, mas sim por ser aquele que nos deixa o conjunto mais harmonioso e equilibrado.
Oval
Num rosto oval, temos de perceber que o comprimento do rosto é superior à sua largura, logo, já temos dimensões ditas harmoniosas, o que significa que qualquer tipo de brincos vai ficar completamente encaixado neste tipo de rosto, pois só vai complementar a harmonia já existente, como se emoldurasse o rosto. O que pode levar a que uns certos brincos não combinem connosco é a cor porque aí, já é necessário entender que cores combinam ou não connosco, mas isso eu trago num próximo artigo!
Quadrado
De seguida temos então o rosto mais quadrado, aquele tipo de rosto que é quebrado pela linha imaginária do nosso queixo. Trata-se daquele rosto que todos os lados, sejam em comprimento ou largura, tudo tem as mesmas dimensões criando assim então a ilusão quadrada.
Para este caso, uma vez que temos a intenção de estreitar o nosso rosto, é preferível usar então brincos que fiquem acima da linha do queixo, pois caso fiquem abaixo do mesmo vai criar a ilusão de um rosto mais largo. OK não deixa de ter a sua harmonia, contudo se o objectivo era deixar a ilusão de um rosto mais fino, ao fazer a escolha por estes brincos não estamos a cumprir o propósito. Como tal, para conseguirmos esticar e estreitar o rosto, o mais indicado é usar brincos acima da linha do queixo.
Ainda assim o tamanho não é tudo, o formato dos brincos também requer a sua quota-parte de atenção. Se temos um rosto quadrado, devemos tentar contrariar esse formato para encontrarmos o famoso equilíbrio, para isso, o que nos é aconselhado usar são brincos redondos ou então simplesmente em linha recta, desde que não tenha o pingente para não criar a tal ilusão de um rosto mais largo.
Ao fazermos esta escolha estamos a contrariar o formato do rosto e deixar todo o conjunto muito mais equilibrado e cativante.
Redondo
E se antes falamos do rosto quadrado agora vamos falar do rosto mais arredondado, chamado de rosto redondo E neste caso vamos apostar em brincos longos e finos preferencialmente com pingente.
Caso o objetivo seja alongar o rosto, devemos apostar em brincos geométricos, já se a intenção for afinar o rosto, precisamos evitar os brincos circulares e volumosos próximos a orelha, dando prioridade a brincos finos, mais sobre o comprido e que se aproximem mais da linha do queixo, abaixo do maxilar, mas não muito para não alargar o rosto.
Triângulo invertido
Agora temos o rosto em forma de triângulo invertido. O que significa que se trata do rosto que tem a testa mais larga e o queijo mais estreito. Para equilibrar esta suposta falta de harmonia, vamos dar mais volume a parte inferior do rosto, ou seja, vamos procurar brincos grandes e compridos que se aproximem da altura do queixo e até mesmo um pouco abaixo. Neste caso é realmente importante serem brincos grandes, para criar conformidade e coerência.
Triangular
Para terminar temos o rosto triangular, ou seja, tem a base mais larga do que a extremidade superior que é mais estreita. Isto significa que os brincos mais adequados devem ser de pouco volume e ficar próximos à orelha, os brincos tipo botão e os médios (próximos à orelha).
Agora, uma vez que já terminamos a escolha dos brincos consoante o formato de rosto, sabiam que o tipo de fecho do brinco pode também influenciar na imagem que querem transmitir? Pois é, é verdade. Se nós usamos uns brincos de agulha, aquele em que apenas enfiamos o brinco no furo como se ficasse suspenso na orelha, vamos dar a imagem mais desmazelada, mais pobre, menos requintada, menos cuidada. Enquanto se usarmos uns brincos com fecho atrás da orelha, ou seja, aquele brinco que começa logo agarrado à orelha, temos um up gigante no nosso look. A escolha deste tipo de fecho vais quase como criar a ilusão de que os brincos são uma continuidade da nossa orelha, como se já fizessem parte de nós.
E agora que já têm todas as dicas necessárias para escolher os brincos perfeitos, arrasarem com os vossos looks, já não há mais desculpas para não condizer a bota com a perdigota.
Não se esqueçam de partilhar comigo os vossos brincos, as vossas ideias, as vossas propostas de combinações que eu vou estar ansiosa por ver tudo. E já agora, se não for pedir demais, comentem quais dos meus brincos, são os vossos preferires. Eu sou sincera não consigo escolher eu amo cada um deles.

xoxo by fashion for womens